Italia – “The Local(s)” parte 1.

Não importa o quanto você acha que conhece um país e uma cultura, você sempre irá se surpreender – para o bem e para o mal – quando conhecer o lugar ao vivo e no seu cotidiano. Esqueça alguns mitos que você ouviu sobre a Itália: nem todos eles são verdade (e alguns infelizmente são). A verdade é que de épico, normal e louco, todo país tem um pouco.

Alguns cliches sobre a Italia… sera que todos sao verdade?

Mas então, o que falar dos “nativos”? Poderia ficar escrevendo nesse blog durante uns 10 anos e não iria conseguir terminar de descrevê-los, até porque todos os dias que eu convivo com esse ilustre povo mediterrâneo eu me surpreendo dando risadas de algo novo. Não é porque eles são ridículos ou qualquer coisa assim que você possa ter pensado… Ao pensar em italianos, pense menos galãs do cinema e pense mais Asterix, o Gaulês – já conhece? Não que não tenham existido galãs de cinema italianos, eles existiram e existem ainda… mas eles não representam bem o resto da população, e convenhamos, não são um parâmetro de comparação muito justo. E se você já leu as historias de Asterix, fique sabendo: tudo se passa no passado mas as personalidades e trejeitos italianos são representados com uma fidelidade inesperada. Quer saber? Um bom jeito de tentar imaginá-los é algo entre os Romanos de Asterix e os artistas do cinema, já vamos entender porque.

Primeiro de tudo, italianos falam, e adoram falar! Falam, descrevem, contam a historia, dão detalhes, contam novamente, acrescentam outros detalhes, e depois por uma terceira vez reforçam a historia, só para ter certeza que você estava ouvindo. Exagero? Talvez. Mas em relação ao que eu estava acostumada, nem tanto. Todos gostam de falar: no supermercado, dentro do ônibus, na parada, numa fila de espera, não importa o lugar, italianos são free-talkers! Vão puxar assunto com você mesmo que nunca tenham sido apresentados, e em boa parte das vezes, não se importam muito se você não responder. E isso vale para todos, desde a criança de 10 anos que tem todos os argumentos do mundo para te convencer que ele tem o melhor video-game, até os professores universitários que pensam que uma aula produtiva é ter um mesmo assunto sendo abordado no minimo 3 vezes. Desde muito cedo eles são ensinados e treinados a fazer discursos: na sua maioria, todo italiano vai ter um discurso pronto para qualquer assunto, com introdução, desenvolvimento, fim e com direito à todas as estratégias da retorica. Completando essa caraterística, temos os clássicos: italianos falam alto e italianos falam com as mãos. A primeira com certeza é a que mais incomoda; certos lugares são apropriados para isso e não chega a ser um problema… mas quando você consegue ouvir perfeitamente as “conversas” delicadas dos seus vizinhos (alguns morando no condomínio do outro lado do patio), alguma coisa está errada. A segunda não incomoda nenhum pouco, é uma das caraterísticas mais universais do povo italiano e uma das mais divertidas; você aprende depois de um tempo que é impossível falar um italiano perfeito sem usar os gestos. Em alguns casos bem corriqueiros, eu consigo responder perguntas e fazer comentários com um gesto e uma expressão facial.

Alguns gestos italianos… nem todos sao usados.

Uma coisa é certa, eles tem uma historia tremenda e tradições belíssimas. Como bater um povo que entre conquistas e tragédias tem mais de 2000 anos de historia? E eles são muito bons quando o assunto é estudar o passado, seja com a Historia, a Arqueologia, a Musica, a Arquitetura ou as Artes. O que mais? Italianos são dramáticos – sim. E nem adianta discutir com isso. Pode ser um mais extrovertido do sul ou um mais sério do norte, todos eles tem a sua dose de drama tipicamente italiana. E isso me leva ao assunto família: família é algo muito importante para os italianos, principalmente o vinculo mãe-filho. Atualmente isso tem criado um fenômeno na geração dos homens entre 20-35 anos (as vezes até mais velhos) que são os chamados “mammoni” ou filhinhos da mamãe: homens adultos que escolheram não sair de casa, mesmo que tenham um emprego e sejam “auto-suficientes” financeiramente; solteiros ou não, eles não conseguem (ou não querem) romper a ligação com a mãe, que continua cozinhando, lavando e passando a roupa, arrumando a casa para eles… e sem reclamar.

Mas, se tratando de comida, não tenho nenhuma reclamação. Italianos tem mania de dizer que eles são melhores e os primeiros nisso e naquilo, mas quando eles falam da culinária, eles tem toda a razão. A culinária italiana é maravilhosa e eles a levam muito, muito à sério, tanto a preparação, a escolha dos ingredientes, o momento de cozinhar e o momento de degustar – a rotina das famílias italianas em geral gira em torno à mesa, principalmente aos domingos. Sobre todas as delicias da cozinha italiana vou dedicar um post especial, não se preocupem.

Outro ponto alto da cultura italiana? Eles são artistas. Não importa a área, italianos são excelentes artistas e que duvida alguém alguma vez teve disso? Creio que todas as outras características comentadas antes fazem muito sentido quando pensamos no lado artístico dos italianos. Eles gostam de falar, de cantar, de se expressar com todos os meios e de todos os jeitos possíveis. Eles talvez não sejam os mais sagazes e tenham o senso de humor mais inteligente de todos, mas de arte eles entendem. E isso com certeza explica o grande sucesso das profissões ligadas ao entretenimento aqui na peninsula: cantores, bailarinos, produtores, músicos, pintores, escultores, poetas, escritores, instrumentistas e muitos querendo se tornar – o país esta cheio deles.

Quase ia esquecendo de comentar! O que faltou nessa imagem que vai se montando aos poucos dos italianos? A vaidade. Pois é, italianos sao muito vaidosos e os homens tanto quanto as mulheres! Um tipico italiano ou italiana acham essencial a escolha de roupas, o cuidado com beleza e a imagem que eles criam de si mesmos. Nao é à toa que a Italia é um dos paises mais importantes no mundo da Moda: as pessoas aqui realmente consumem moda e se preocupam em estar atualizados. Um lado positivo disso tudo é a criatividade e a elegancia, sempre se casando com a idéia que italianos sao artistas e gostam de se expressar – nisso tudo com certeza esta envolvida o jeito de se vestir, se portar e cuidar pra propria aparencia. Cuidado que as vezes extrapola e é exagerado. Em quantos paises voce pode dizer que conheceu homens que sao tao vaidosos quanto as mulheres? Aqui nao tem “coisa de mulher” e “coisa de homem”: ambos compartilham todas as cores do arco-iris (homens usam tranquilamente rosa e lilas sem o minimo problema), os produtos de beleza, as manicures, as depilaçoes e todo outro tipo de tratamento estético. Pensamento bem “moderno”, se nao fosse todo o exagero que rola em ambos os sexos.

“Esses romanos sao uns loucos!”

Claro, isso foi uma grande generalização num espaço muito pequeno, mas eu creio que é um bom resumo das minhas impressões até agora, que eu tenho certeza (espero, na verdade) que estão incompletas ainda. Mas se tem uma coisa que eu não consigo evitar de lembrar quase que diariamente, é a célebre frase usada pelo Asterix e pelo Obelix: “Esses romanos são uns loucos!” – eles são, não tem outra explicação! E voces, o que acham? O que ja ouviram falar sobre os italianos?

2 respostas em “Italia – “The Local(s)” parte 1.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s