Italia – 5 pontos negativos.

É muito comum que situações do dia a dia me inspirem em alguns dos posts que faço por aqui. Volta e meia me vejo anotando pequenas lembranças que tenho durante o dia e penso “Sim! Tenho que lembrar de comentar isso!”. Essa semana não foi diferente. A Itália tem sim, muita coisa boa e maravilhosa, algumas até já foram citadas aqui ou ainda serão nos próximos posts, mas também é verdade que como qualquer outro paìs do mundo, tem as suas desvantagens, ou pontos negativos. Acho interessante abrir um parênteses aqui: muita gente já me perguntou qual país eu prefiro, Brasil ou Itália, ou então qual deles é melhor ou pior de se viver. Nas minhas primeiras impressões e no começo da experiencia era muito fácil e esperado fazer comparações; você sente uma falta aqui, vê algo diferente ali e demora a se acostumar com certas coisas, mas quanto mais o tempo passa, fica claro que é impossível comparar dois países que tem sim semelhanças de cultura mas que são muito diferentes. È como tentar dizer o que é mais gostoso entre pizza e churrasco: não da, cada um é bom no seu contexto e é bom ter ambos pra poder variar; você pode até preferir um ao outro, mas quem gosta dos dois sabe como é difícil decidir e escolher só um. Entre o Brasil e a Itália funciona do mesmo jeito: cada um tem vantagens, pontos fortes, desvantagens e pontos fracos; creio que o ideal seja aproveitar o melhor de ambos e se possível, tentar ajudar a melhorar o pior.

Esta semana algumas situações me lembraram de algum dos pontos negativos, e achei que seria valido comentar e ver a opinião de vocês. Elaborei uma pequena lista de 5 coisas na Itália que eu não curto, acho inconveniente ou errado. Elas estão em ordem totalmente aleatória. A primeira coisa que me levou a escrever este post foi:

1- Cinemas dublados. Isso mesmo, acredite se quiser. Todos os filmes que são exibidos em cinemas italianos são dublados e isso é um fato protegido por lei. Por mais que eles deem todos os motivos do mundo, ainda não faz sentido para mim não colocarem uma alternativa para quem gosta e prefere assistir filmes em língua original legendados. Foi difícil encontrar os dados de fato, mas da minha pesquisa surgiu que a dublagem protegida por lei surgiu entre os anos 30 e 40, porque até então os filmes estrangeiros eram proibidos em solo italiano (sim, isto tem tudo a ver com a politica do fascismo) e por isso estúdios de dublagem foram criados para permitir a entrada de filmes estrangeiros nas salas de cinema italianas. Uma lei antiga e que surpreendentemente não foi revogada até hoje, e não creio que existam previsões para isto acontecer: a industria de cinema italiana e a industria de dublagem se gabam de estar num país onde a dublagem é tao valorizada, eles consideram que as legendas “fazem o espectador desviar o olhar das imagens e ficar distraído, desvalorizando a historia; sem contar que legendas são mal feitas e não traduzem com fidelidade o que foi dito” e declaram de serem considerados entre os melhores dubladores do mundo. Se eles são os melhores ou não, não cabe a mim dizer – eu defendo totalmente filmes em língua original e a liberdade de escolha – sem contar que não gosto do estilo italiano de dublar e evito muito de ir ao cinema aqui. Para não dizer que é algo absoluto, uma vez nesses 4 anos eu fui à uma exibição de filmes em língua original: era um cinema ‘cult’ perto da universidade, pequeno, que estava projetando filmes especialmente para um festival de “filmes em língua original” que durou menos de 5 dias – na sala de cinema estávamos eu e mais 3 pessoas.

E na televisão? – talvez você pergunte. Na televisão aberta funciona como no Brasil: tudo é dublado. Nas televisões a pagamento (principalmente a Sky) você tem a opção dublada em um canal e um outro canal igualzinho, mas legendado, com a mesma programação. Mas essa situação já é tao antiga e tao enraizada na cultura que praticamente nenhum italiano gosta de ler legendas, a maioria dos meus amigos alega não conseguir ler as legendas com a rapidez necessária para acompanhar a historia; claro, nunca foram acostumados. E isso ajuda muito a explicar o próximo ponto:

2- Inglês macarrônico. Italianos falando inglês é uma das coisas mais tragicômicas do mundo. Italianos tentam, enrolam, mas tem muita dificuldade para aprender e para falar inglês. Creio que seja por causa de uma mistura de motivos: professores não qualificados (que as vezes aprenderam errado na própria universidade), alunos não interessados, uma cultura que não incentiva o aprendizado da língua (valorizam muito mais o francês e o alemão), pessoas que passam a vida inteira somente assistindo a filmes, séries, jogos e programas dublados, e outros motivos que talvez ainda não descobri. O fato é que eles não sabem falar inglês e ainda não entenderam a importância o idioma (você pode até não gostar da língua, mas não tem como não reconhecer a sua relevância no mundo atual) e por isso não se preocupam em aprender. Creio que nesse fator, comparando a classe média italiana com a brasileira, a ultima esta muitos anos à frente da primeira. Das pessoas que eu conheci aqui – inclusive na universidade – menos de 20 compreendem o idioma e talvez umas 5 ou 6 sabem a língua em nível bom. Os universitários? Conheci pouquíssimos interessados pela língua e a grande maioria dos meus colegas faz piada e reclama se eu uso uma minima expressão em inglês durante uma conversa. A coisa vai ainda num nível mais profundo e as palavras em inglês que foram adotadas como empréstimos dentro da língua italiana foram deformadas mais que no Brasil, chegando ao ponto que nas primeiras vezes que eu escuto um italiano falando inglês, não entendo o que a pessoa quer dizer. É ouvir para crer. Pra ilustrar um pouco quero deixar um vídeo, que talvez seja bem infame, mas é um exemplo perfeito do que eu estou tentando explicar.

3- Gente fedida que nao cheira bem. Não creio que eu precise escrever muito neste tópico. Apesar de serem vaidosos, amantes da moda e nunca poderem sair de casa desarrumados ou sem maquiagem, infelizmente os italianos em boa parte não fizeram muito a conexão entre esses hábitos com uma bela higiene corporal que todo brasileiro gosta. Sabe a expressão “sou pobre mas sou limpinho”? Ela não faz o minimo sentido aqui. O primeiro sintoma são os variados cheiros que você sente dentro do ônibus, no supermercado, durante uma aula na universidade e até mesmo durante uma refeição num restaurante; depois você começa a realmente ver coisas: algumas meninas que não se depilam, gente que não costuma lavar as mãos depois do banheiro, pessoas que quando falam perto de você abrem a boca e é uma vergonha e quando você começa a ganhar mais intimidade, descobre que alguns decidem se naquele dia vão “ou tomar uma ducha; ou lavar as partes; ou lavar o cabelo; ou renovar o desodorante”. Sim. A primeira vez que eu escutei que eles escolhiam uma coisa em detrimento das outras eu fiquei chocada, mas ai tudo fez sentido. O bronzeado e a maquiagem estão sempre em ordem, mas e a limpeza e os dentes brancos? Pfff, quem se importa? Não existe inverno ou verão aqui que eu deixe de agradecer pela nossa parcela de ascendência indígena. E bem, para nao ser tao radical, nao é que todos sejam assim, mas uma bela parte, nao tem como ignorar…

4- Carne sem gosto. A culinária italiana é maravilhosa, como já falei e com certeza pretendo afirmar de novo em um post inteiramente dedicado a ela! Mas as carnes, que pena… não são todas ruins: peixe, camarão, frango, porco, javali, carneiro, coelho – de variedade estamos muito bem servidos, ainda que não seja muito barato e não se possa comer carne com tanta frequência quanto no Brasil. A grande tristeza é a carne de gado, que aqui praticamente não tem gosto, é magra e sem graça, sem falar cara! Tem alternativas? Tem. Você pode comprar carne importada da Irlanda, EUA ou Argentina, pagando o preço da etiqueta (coisa de mais de R$ 75 o kilo, dependendo do corte). O gado que é criado aqui vive basicamente de feno e não tem muito espaço para passear ou graminha fresca para comer – e o resultado se sente no sabor. O jeito é temperar e fazer receitas de todos os jeitos possíveis, mas um churrasco? Meio difícil. Outra alternativa? Se acostumar e diminuir a quantidade de carne de gado na alimentação, o que é muito possível, sem drama.

Jantar com carne em restaurante fiorentino.

*Importante fazer um comentário: o único lugar até hoje onde eu pedi uma carne de gado assada e estava realmente deliciosa foi em Firenze (na Toscana). Não foi por acaso: a Toscana é famosa por ter um tipo de carne especial e saborosa e amigos me indicaram o restaurante, então foi tiro certeiro e valeu muito a pena! Mais detalhes no futuro post sobre as minhas viagens para Firenze.

Ultimo da lista e sem duvidas o mais grave, deixando as piadinhas de lado.

5- Burocracia e corrupção. O que dizer? Depois de morar aqui por 4 anos não tenho duvidas de que ambas burocracia e corrupção que existem no Brasil são herança dos colonizadores latinos (portugueses, italianos…). Tudo que acontece ai, acontece aqui e as vezes até mais um pouco. É difícil mensurar essas coisas, mas com certeza existe tanta corrupção aqui como no Brasil – aqui talvez mais a nível de governo e menos a nível de população, e espero não estar iludida quanto à população! Talvez esta seja a que vocês mais conheçam no Brasil, entre todas as características citadas; os jornais estão ai para isso, difícil alguém não conhecer Berlusconi e suas historias, para escolher um exemplo.

E sobre a burocracia? Essa eu não tenho duvida: foi criada pelos romanos, mais de 2 mil anos atras. Processos intermináveis, documentos estranhos e difíceis de entender, filas enormes, funcionários públicos que trabalham em poucas faixas horarias e quase sempre te dão indicações erradas… Como no Brasil, só que com um sotaque diferente. Quando eu contar a minha historia de como eu fiz para entrar na universidade aqui vai ficar bem ilustrado.

Talvez existam mais pontos e essa com certeza não é uma lista absoluta – e é totalmente a minha opiniao e visao da coisa-, mas acredito que seja um bom começo. Espero não ter assustado ninguém, e sim somente ajudado a esclarecer mais as coisas, porque é sempre importante lembrar que todo país tem suas desvantagens e pontos negativos, e para quem pretende viajar, visitar ou até mesmo morar, quando mais informação e esclarecimento, melhor – e menor o risco de ser pego desprevenido. E vocês, o que acham?

9 respostas em “Italia – 5 pontos negativos.

  1. muito bom o post! hehe XD bem humorado! e é legal ver o ponto de vista de quem mora, porque quando a gente só vai a passeio tudo tende a ser lindo e maravilhoso, né?! e logo a gente (brasileiro) que se deslumbra com a Europa, e cria a ideia de que tudo é perfeito… faz bem criar a percepção de que todo lugar tem coisas boas e coisas não tão boas assim.

    acho que esse negócio do povo preferir tudo dublado não é só na Itália. uma das alemãs que morou aqui em casa assiste tudo dublado também, em alemão, claro! ela também prefere as coisas dubladas às originais, mas pelo menos na Alemanha não existe o problema do inglês. e aí aqui ela preferia assistir aos filmes em inglês do que os em português, porque inglês ela já sabia, mas o português dela não é lá essas coisas. e no fim das contas acho que pensamos ser um absurdo porque faz parte do nosso círculo de amigos e pessoas com quem convivemos gostarem e terem o costume de ver as coisas na língua original. se pesquisarmos a grande massa do país, provavelmente haverá uma preferência pela dublagem. eu conheci pessoas que preferem não ir ao cinema porque os filmes são legendados, e por isso esperam sair em DVD para poderem assistir dublado.

    talvez aqui as pessoas tenham mais consciência da necessidade e importância de se saber inglês, mas em termos de qualidade não sei se é muito diferente, viu? nós é que somos privilegiadas e tivemos a oportunidade de estudar mais e melhor, e uma vez que você tem um pouco mais de interesse, músicas, filmes, seriados, livros, acabam fazendo parte da sua vida e de alguma forma o inglês é incorporado. os estrangeiros costumam dizer que no Brasil ou as pessoas falam muito bem, ou não falam absolutamente nada. mas ainda assim a quantidade de gente que fala é MUITO menor comparada a população que não fala nada. e isso é um problema, ainda mais com os grandes eventos mundiais que estão para acontecer no Brasil. a posição do Brasil quanto a fluência em inglês caiu na relação de países avaliados, enquanto as oportunidades nas áreas que exigem a fluência na língua aumentaram. isso significa que as empresas tem contratado estrangeiros para suprir a falta de profissionais “nativos” capacitados. música em inglês todo mundo gosta, mas saber o que significa é outra história…

    também sou super fã da cultura do banho COMPLETO TODOS OS DIAS! hehehe eu não ligo pra maquiagem, perfume, roupa chique… mas higiene! fundamental, né?!

    o vídeo do Asterix é perfeito!! XD pena que naquela época ainda não existiam os menus dos call center. depois de selecionar quinhentas opções você cai num atendente que nunca sabe o que fazer com o seu problema e te faz esperar horas na linha pra te passar pra outra pessoa, ou mandar ligar em outro lugar.

    pelo menos aqui no Brasil há a impressão de que querem melhorar a questão da corrupção… o povo do mensalão foi julgado e os declarados culpados vão pagar, naquele esquema, mas vão pagar de alguma forma. bicheiros e afins também estão sendo investigados… e a gente fica sonhando com o dia em que todo mundo vai ser honesto… ilusão, né?! só no jeitinho brasileiro…! que todo brasileiro se orgulha, mas não entende que esse jeitinho tem implicações muito maiores, porque começa no “eu dou um jeitinho, não tem problema, ninguém vai perceber” e acaba virando um esquema mensalão. somos todos corrompidos e corruptores. quem nunca burlou uma regra e disse “não tem problema” não é mesmo?

    a grande vantagem da carne européia não é exatamente o bicho andar pouco e ter uma alimentação de feno? carne mais macia e com menos gordura? eu não entendo muito de carne, né?! afinal, faz mais de dez anos que eu não como carne de gado, mas isso eu achei interessante e curioso. sempre tive uma ideia diferente sobre a carne daí.

    beeijos! =)

    • Nossa, que comentario enorme, adorei! hahahahahah
      Sim, eu relaçao às massas eu tambem concordo, sò falei que talvez a nossa esteja à frente. O grande problema aqui que nao sei se voce me entendeu é: os universitarios nao saberem ingles; e os cinemas nao terem absolutamente uma opçao! Ai pelo menos a maioria dos filmes sai dublado e legendado, sabe? Faz muita falta poder escolher…
      Sobre call-centers aqui: nem comentei porque escolhi apagar da minha vida o dia que precisei usar…
      Como eu falei do povo daqui, ainda acho – ou tenho a impressao – de que o povo aqui é um pouco mais confiavel e menos ‘jeitoso’ que o governo, e espero que nao seja uma ilusao minha! Sò me aconteceu um caso de me darem troco errado, por exemplo…
      Sim, a carne aqui tem menos gordura… e de onde voce acha que vem o sabor? XD hahahahahahha
      Beijos e obrigada pelo comentario Tamie, achei o maximo! =)

    • Em quase todos os lugares… hahhahha Mas querias o que? Competir com os mais de 2000 anos de historia e aperfeiçoamento deles? xD Se voce quer se comunicar aqui, melhor usar um espanhol ou portunhol… eles acham bem mais simpatico! Ou entao arranhar um italiano mesmo =)
      Brigada, guri!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s