Saindo da Universidade na Italia…

Palazzo Nuovo à direita - sede das Faculdades Humanisticas da UNITO

Palazzo Nuovo à direita – sede das Faculdades Humanisticas da UNITO

…ou simplesmente terminando a graduação.

Mais ou menos um ano atrás, logo no inicio do blog, eu fiz um post explicando como eu consegui entrar e estudar numa universidade italiana em modo integral e não só por intercambio. Eu estava no ultimo ano da graduação. Agora, um ano depois, já estou formada e me preparando para a próxima fase. Como eu expliquei naquele post, entrar na universidade nem foi tão “impossivel” como muitos pensam… o dificil mesmo foi “sair” da universidade e concluir essa etapa.

Nesse post eu quero contar um pouco pra voces como foi este ultimo ano e as dificuldades gerais que eu tive durante a graduação. E se você acabou de chegar de paraquedas no blog, veja o inicio da historia aqui. :)

A loucura da vida academica. Estatua em frente ao prédio das Humanas.

 Estatua em frente ao prédio das Humanas.

Como eu falei no primeiro post sobre a Universidade na Italia, aqui professores e funcionarios partem do pressuposto que você é uns 70% responsavel pela sua trajetoria e sucesso durante os 3 anos de graduação. Desde o inicio, desde o primeiro dia de aula… não espere por discursos de boas vindas, recepção dos calouros ou muitas orientaçoes; se você tiver duvidas para tirar ou simplesmente precisa de um pouco de direcionamento, fica implicito que você deverà ir atras de ajuda, procurando os lugares e as pessoas certas. Eu não sabia nada disso no meu primeiro ano e achava estranho o quão “natural” todos os alunos calouros pareciam agir ao meu redor. A grande verdade é que estavam quase todos tão perdidos quanto eu, e todo mundo achava que era o único a estar passando por aquela situaçao. Criei coragem e comecei a puxar assunto com os colegas, tentando desvendar os segredos do curso e da faculdade e aos poucos fui pegando o jeito da coisa.

Se você esta pensando em encarar essa aventura, eu posso dar algumas dicas de como começar a se virar nessa selva academica – pelo menos naquela italiana. As universidades italianas são articuladas em estruturas menores e o nome pode mudar de uma para outra (faculdade, departamento, ateneu, escola, centro, etc.); essas estruturas menores reunem um conjunto de cursos de areas semelhantes (Faculdade de Letras, Historia, Pedagogia, etc…). Para cada faculdade (ou departamento, etc.) vai existir uma Segretaria Studenti, uma Segretaria Didattica, uma Segretaria Amministrativa, um Preside (ou um Coordinatore, Direttore, etc.), professores do Conselho, professores tutores para cada curso e um conselho estudantil. Quando você tem um problema, você corre para falar com algum deles – e qual deles? – depende do tipo da sua duvida ou problema. Geralmente coordenadores e professores são aqueles que podem te aconselhar sobre a didatica, sobre as disciplinas, os conteudos e a sua carreira academica; e as secretarias podem resolver problemas burocraticos ou administrativos, coisas mais praticas.

Isso pode parecer muito parecido com o sistema do Brasil. A diferença que aqui isso funciona com uma frequencia muito maior, e você pode apostar que vai acabar se “aconselhando” no minimo umas 2 vezes por mês, durante a graduação inteira. Um dos grandes motivos para explicar isso é que os alunos são responsaveis por 60% do próprio curriculum e é sempre bom ter ciencia de todas as possibilidades e consequencias antes de tomar uma decisão. E porque essas decisoes são tão importantes? Elas vão decidir se você tem a quantidade certa e o tipo certo de créditos para se formar ou para continuar a sua carreira depois da graduação. No primeiro caso, o seu TCC depende do tipo e da sua quantidade de créditos; no segundo caso, fazer uma pos-graduação em uma universidade italiana tambem depende do tipo e da quantidade de créditos durante a graduação: muitos cursos de pòs tem pré-requisitos a serem preenchidos antes de você poder se inscrever.

Palazzo Nuovo - Università degli Studi di Torino

Palazzo Nuovo – Università degli Studi di Torino

O meu curso de graduação previa 180 créditos (com exames valendo 6 ou 12). Quando me faltavam aproximadamente 3 ou 4 exames eu fui atras do professor de uma matéria que eu já havia dado exames e que a area me interessava; você apresenta as notas das provas que fez naquela area e propoe um assunto a ser pesquisado, depende do professor aceitar ou não a sua proposta e te aceitar como aluno “laureando” (formando). Esse pedido pode ser feito a partir do inicio do 3° ano, mas a partir disso é livre; a única coisa que você deve ter em mente é que o professor pede no minimo 1 ano para trabalhar o seu TCC por completo, do dia do inicio da pesquisa até o dia da banca. Durante esse 1 ano você tem que ficar atento aos prazos e todas as etapas burocraticas necessarias – o professor não vai ficar te cobrando, tudo depende de você: marcar as reunioes, estabelecer o cronograma, realizar os tramites administrativos… O professor orientador esta ali para julgar e lidar com o seu trabalho intelectual e com nada mais além disso. Mais uma vez você é 70% responsavel pelo o que esta acontecendo e ficar atento a tudo é essencial nessa ultima etapa.

Depois de muito correr atras de tudo e de muito trabalho (como qualquer TCC requer), em julho deste ano eu apresentei minha monografia à banca e fui aprovada. E este é outro detalhe diferente da Italia. A minha universidade (e quase todas) não possui a tradição da “Formatura” ou Colação publica do grau. Cada aluno se forma independente dos outros e não existem cerimonias de comemoração em conjunto. E como acontece? No ultimo mês letivo do ano existe um periodo para as apresentaçoes de TCC e uma data é marcada para cada aluno com uma determinada banca. Você apresenta o seu trabalho para a banca em aproximadamente 10-20 min e então, após uma deliberação dos professores (4 ou 5), eles determinam o seu voto, te declaram aprovada ou desaprovada, você assina os papeis, o seu orientador aperta a sua mão e voilà! Você acaba de colar o grau e se formar.

Ao final deste periodo existe uma “Proclamação Publica”, que consiste no Presidente do curso nomeando todos os alunos graduados naquela semana e fazendo um pequeno discurso. A coisa toda dura nem meia-hora e é tao “relevante” que a frequencia não é nem obrigatoria para os graduados. Tradicionalmente aqui as famílias e amigos do graduado saem para almoçar ou jantar juntos, mas em geral as comemoraçoes terminam por ai e baile nem pensar… No dia seguinte, sem mais nem menos, você é um graduado e a vida continua já com planos para a próxima etapa.

O "Toro" e a Universidade.

O “Toro” e a Universidade.

→Quem ainda tiver duvidas ou quiser perguntar mais coisas, pode escrever aqui no blog. Também vou deixar um site muito bom para pesquisar cursos de graduação, pòs-graduação, bolsas de estudo e outros cursos menores na UE.

3 respostas em “Saindo da Universidade na Italia…

  1. Sissa, tudo bem?

    Sei que este post é antigo, mas pesquisando sobre Universidades italianas no google, achei esse seu post.

    A parte que tenho mais dúvidas é sobre os valores, como funciona? Tem uma mensalidade, igual no Brasil? Existem planos de financiamento/bolsas?

    E como você se virou financeiramente enquanto estudava? Pois como é período integral, acredito que o aluno não tem tempo para trabalhar nesse período, né?

    Obrigada!!
    Stephany

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s