Malas e bagagem #2: tudo pronto, e agora?

malas4Boa noite, gente! Como voces já sabem, o hiatus (pausa) do blog terminou e agora os posts estão voltando! Recentemente eu me formei e entrei de férias, e por causa de uma otima oportunidade e varias coisas dando certo, consegui vir ao Brasil aproveitar esse tempo, visitar família e amigos e passear um pouco. Mas antes da tranquilidade começar, muitas coisas ainda iriam acontecer. Esse post tem um pouco de experiencia, um pouco de desaventuras e algumas dicas.

No primeiro post que tivemos sobre bagagens, nòs vimos maneiras e dicas de como planejar e fazer as nossas malas antes de ir viajar. Dessa vez eu vou poder contar um pouco sobre os cuidados que temos que ter depois que as malas estão prontas e fechadas, para que elas permaneçam protegidas durante toda a viagem e cheguem inteiras na sua destinação.

Continuar lendo

Cambridge: Viagem para Inglaterra parte #1.

Parker's Piece

Parker’s Piece

O mês de fevereiro acabou e muita coisa ainda não foi contada por aqui! A verdade é que o mês foi super corrido, em todos os sentidos, e até agora com certeza foi o mês que eu menos tive tempo para sentar por aqui e dividir um pouco de historias e dicas com vocês. Mas que isso não seja nem mais um dia adiado! Hoje quero começar a contar para vocês sobre a viagem para Inglaterra que fiz duas semanas atras; uma das viagens mais inesperadas e planejadas com o menor tempo disponível que eu já fiz, mas que com certeza foi incrível! No total passei 8 dias na terra da Rainha e dividi esse período entre 3 cidades: Cambridge, Londres e Oxford. Como o conteúdo que eu quero passar para vocês vai ser bem recheado e ilustrado com muitas fotografias, decidi dividir os posts da viagem em temas e locais visitados, para ficar mais fácil de contar, ler e encontrar tudo.

Continuar lendo

Capitulo 1 – A mudança.

Nao lembro bem de todos os detalhes que antecederam à minha mudança, mas eu lembro que foi uma loucura de dias passando como vento e coisas sendo resolvidas de ultima hora – mesmo que a idéia de se mudar e estudar fora nao fosse nova, uma coisa nunca muda: imprevistos e correria.

Sendo de familia de ascendencia parte italiana e que havia conseguido, depois de anos, traduçoes e burocracias, a cidadania italiana, a idéia de um dia se mudar para a Italia e experimentar a vida nesse paìs nao era novidade e ja havia sido considerada varias vezes. Mas uma mudança desse calibre nao é facil e encaixar todos os pequenos detalhes necessarios para fazer funcionar menos ainda. Ja deixo aqui uma dica: se alguem pensa em algo do genero pro seu futuro, faça um planejamento a longo prazo e considere tudo – tudo. Quanto mais pontas soltas forem deixadas, mais dores de cabeça podem surgir. E as vezes pode acontecer o que aconteceu comigo: a oportunidade chegou rapida e inesperada, quando parecia que as raìzes ja estavam ficando profundas demais e eu tive que deixar familia, amigos, dois cursos universitarios e inumeras outras atividades em Florianopolis, cidade onde eu havia morado entao por 18 anos.

A oportunidade era a de continuar o estudo universitario na Italia, matriculada como italiana (nada de intercambio!) e sem precisar fazer ‘vestibulares’ ou exames de pre-seleçao. E depois de considerar os varios pros e contras decidimos (eu e meus pais) tentar, nem que fosse ‘testando’ por um ano, para ver como e se funcionaria. E entao seguiu-se a correria: papelada, documentos, assina aqui, traduz ali, malas, mudança (a fisica mesmo, tralharada!), cursinho intensivo de italiano para desenferrujar o que eu havia aprendido anos antes e despedidas (sem duvidas a parte mais dificil). E entao fui eu na frente sozinha, para conseguir chegar a tempo dos prazos para a matricula e o inicio das aulas. Nao era a minha primeira viagem de aviao, mas era a primeira sozinha, e foi muito emocionante! Em setembro de 2008 eu estava chegando no Aeroporto di Torino Caselle (TRN), hoje em dia meu amigo e velho conhecido.

Por que Torino/Turim? Torino foi a cidade escolhida porque na época nòs tinhamos familia morando na regiao ja ha varios anos, o que facilitou muito a transiçao e adaptaçao! Sempre melhor ter conhecidos em um lugar onde nunca se esteve antes. Passei os primeiros meses morando com eles até que fosse possivel encontrar um apartamento para alugar e nòs conseguissemos nos virar sozinhos. Nos situamos em Chieri, cidadezinha ‘satélite’ nas colinas da regiao metropolitana de Torino, à 15km do centro e a cidade da minha segunda casa desde entao até hoje…

Com esse post terminam as explicaçoes de ‘background’. Nos proximos dias quero contar quais foram as primeiras impressoes, e falar um pouco mais sobre a cidade de Chieri, sobre Torino e a minha Universidade, nao percam o horario de embarque! :)